quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Minhas opiniões sobre os filmes do Godzilla

Esse é um compilado (na íntegra) de comentários que postei no Filmow em relação a cada um dos filmes japoneses do Godzilla. Nada muito elaborado, a maioria é algo curto mesmo. Vi a franquia a alguns anos.

x

ERA 1

x

Godzilla 1954

"Filmaço! Deve ser visto por todos os admiradores de filmes de monstro.

A história e os personagens são envolventes, tem uma trama mais profunda, uma preocupação além do inicialmente mostrado, como o fato dos humanos usarem as coisas pra fazer o mal.

Primeiro dão aquele suspense, sem mostrar o monstro, apenas boatos de que o monstro de uma antiga lenda, Godzilla, havia voltado. Mesmo assim, pouco depois, já vemos parte do Godzilla. Daí tem uma reunião sobre de onde ele veio, como ele saiu, e aí entra a parte das bombas atômicas e o que elas fizeram com o monstro.

O Godzilla só aparece por completo lá pra metade do filme, destruindo cidades, enquanto o exército tenta de tudo pra matá-lo e as pessoas tentam sobreviver.

A origem original do monstro é de que ele é um dinossauro que sobreviveu a extinção e ficou vivendo no fundo do mar. As bombas atômicas o despertou e ele absorveu a energia delas (possivelmente isso explica suas rajadas de fogo). Seu ataque a superfície fica claro que foi por causa das bombas, que mexeram com ele e ele ficou irritado, destruindo tudo o que encontrasse.

Apesar de ter continuações, o filme pode ser visto de forma 'fechada'. Até tem uma citação que possibilitou outros filmes, mas a história em si se encerra ali, no ato final contra o Godzilla. Isso me fez pensar se os outros monstros são o mesmo Godzilla, só que foram evoluindo, ou são outros, cada filme ou cada ciclo um diferente."

x

Godzilla Contra-Ataca 1955

"Segundo filme do monstro-dinossauro e a estreia do primeiro adversário monstro do Godzilla: o Anguirus.

O filme é bem inferior ao primeiro, mas não deixa de ser bom. O grande problema dele é seu roteiro mal dividido, além dos graves erros de localização e tempo, e, claro, de uma história um tanto sem motivação.

Os primeiros minutos do filme são mornos e tentam algumas coisas pra chamar a atenção, mas fica na mesma.

A batalha do Godzilla contra o Anguirus hoje em dia pode ser considerada bem tosca, eu mesmo ri da cena, mas não deixa de ser divertida, bem divertida. É legal, e ao mesmo tempo cômico, ver uma luta entre pessoas fantasiadas de dinossauro, e o filme consegue deixar claro que são pessoas.

De qualquer forma, Anguirus é meio que deixado de lado, é como se fossem dois filmes em um, depois dele ainda tem mais história com os personagens humanos contra o Godzilla. Descobrimos que o Godzilla é atraído por luzes.

Falando dos personagens humanos, o filme não dá tempo de um bom desenvolvimento dramático e as atuações são fracas, perdendo a emoção adequada. Ninguém marcante.

Entre altos e baixos, o filme consegue divertir e tem seus momentos sérios. A cena da perseguição policial, que leva a grande cena de luta, é uma das melhores do filme, embora pare por aí mesmo pra dar espaço pros dois monstros lutarem. O final da luta é violenta, mas a cena novamente tem exageros. Depois disso o filme não anda, mas consegue encerrar bem, apesar de ter deixado no ar um sentimento de que ficou faltando algo.

Falando assim parece até ruim, mas só assistindo o filme mesmo pra saber."

x

King Kong vs. Godzilla 1962

"Revi hoje, divertidão kk Dessa vez vi a edição original japonesa, sem cortes e modificações feitas pelos americanos.

Ri muito das lutas. E o filme ainda tem umas cenas humoradas com os humanos, como no início, do cara testando a linha forte, e a do intérprete na ilha.

Primeira batalha: King Kong chega encrencando com o Godzilla. King Kong taca pedra no Godzilla. Godzilla queima King Kong. King Kong sai triste. huehuehue

Que loucura a última batalha dos dois. Sem comentários aquilo..."

x

Godzilla Contra a Ilha Sagrada 1964

"Quarto filme do Godzilla. Ele demorou tanto pra aparecer que eu até tinha me esquecido que era filme dele e já tava pensando no solo do Mothra. Falando em Mothra, curti a personagem. Uma borboleta contra o Godzilla. A cena da lagarta mordendo o rabo do Godzilla é a melhor haha

Batalha mesmo rola pra depois de uma hora de filme, mas a história humana é envolvente, então deixo passar. Aquelas mulherzinhas são fadas ou algo do tipo? Cantam bem."

x

Ghidrah, o Monstro Tricéfalo 1964

"Quinto filme do Godzilla. :v Nunca pensei que veria uma lagarta em cima de um... "dino pássaro" enfrentando um dragão de três cabeças.

Sobre o filme, é tosco, muito tosco. Ri demais da batalha. A cena dos monstros conversando negociando pra deter o King Ghidorah kkkkk A luta entre os monstros ocorre só no final do filme, o que é uma pena. ´basicamente a cena que o King Ghidorah aparece, pq no resto do filme, acho que só duas cenas rápidas. Esse filme deveria se chamar "Godzilla vs Rodan", pq ele aparece mais que todos.

E dessa vez inseriram uma parada alien no filme, embora nenhum apareça realmente, só a mulher lá que dizem que é princesa, mas ela diz ser de Vênus e fica alertando sobre o que acontecerá no futuro. Tem uns caras que vão atrás da princesa/alien, como são ruins de mira, o cara nem perto com espingarda (ou algo do tipo) e mira consegue acertar o alvo."

x

A Guerra dos Monstros 1965

"Sexto filme do Godzilla. Dessa vez deixaram um pouco a desejar. O Godzilla vira um simples figurante de uma trama maior (apesar de já ter ocorrido antes, não foi ao nível desse). Esperava que aproveitassem mais o King Ghidorah, que mal aparece em seu filme contra o Godzilla, mas não ocorreu. A história dos aliens não é grande coisa mas dá pro gasto. Ao fim é um filme pra passar o tempo. Há melhores. Destaque pro Godzilla comemorando com pulinhos toscos."

x

Ebirah, Terror dos Abismos 1966

"Sétimo filme do Godzilla. Bonzão. As diversas cenas sem trilha de fundo só aumentam a experiência do filme. A história de fundo funciona e entretém, trazendo de volta a ilha de Mothra e seus habitantes. E gostei como o Godzilla retornou nesse filme, só fiquei curioso pra saber como ele entrou naquele lugar. Agora tenho que falar das lutas: Godzilla humorado não tem pra ninguém, "brincando" com os aviões. E a primeira batalha contra o Ebirah (lagosta gigante)? Mais pareciam que tavam jogando bola. Bizarro. O Godzilla com sono coçando o olho então... Sem comentários. O filme, assim como os outros, possui uma história séria, mas as cenas do Godzilla são pura diversão."

x

O Filho de Godzilla 1967

"Oitavo filme do Godzilla. É, minha gente, o Godzilla agora é pai! Dessa vez partem pra algo mais infantil, mas isso não desmerece o conteúdo. Aqui temos o filhote do Godzilla e não vemos nenhuma explicação de como isso foi possível. O ovo simplesmente é descoberto e sai o filhote de lá... sendo maltratado por uns louva-a-deus gigantes. Coitado, sofrendo bullying desde que nasceu. O bicho é todo atrapalhado, tropeça direto (seja pisando numa pedra, seja andando) e é muito medroso (o Godzilla solta sua rajada e ele sai correndo abraçar o pai). O Godzilla, como um pai rígido, tenta treinar seu filho pra ser um monstro de verdade. Já a trama do filme é aceitável, tem lá seus personagens, algo tranquilo de assistir. E curti como encerraram o filme, foi o melhor caminho a seguir."

x

O Despertar dos Monstros 1968

"Nono filme do Godzilla. Esperava bem mais. Esse já tinha visto quando criança e lembro de ter curtido bastante justamente por causa das lutas dos monstros. Não há uma noção exata de quanto tempo se passa entre os filmes, mas sabe-se que é pouco, já que o Godzilla costuma aparecer onde terminou no filme anterior. Aqui avançam pro fim do século, onde os monstros estão presos numa ilha. O título vem de uma parte do filme em que os aliens controlam os monstros e mandam eles pra diversos lugares do mundo destruírem o que verem pela frente (e não, o filme não se foca nisso). A história clichê dos aliens e humanos até dá pra deixar passar, mas é desinteressante, inclusive os personagens. O bom mesmo é quando os monstros se unem para enfrentar King Ghidorah no final do filme. Pra quem curte, bom até demais essa parte."

x

A Vingança de Godzilla 1969

"Décimo filme do Godzilla. Não esperava que um filme do Godzilla pudesse ser tão ruim. Tudo bem que dentre vários filmes poderia facilmente sair algo abaixo da média, mas não poderia imaginar algo a esse nível. Achei ok a história do garoto, do inventor de brinquedos, dos ladrões atrapalhados, tentaram seguir algo mais infantil, como em O Filho do Godzilla, só que aqui há problemas que vão muito além. Pra começar, o garoto imagina estar na ilha dos monstros, ou seja, nada daquilo é "real". E as cenas de luta são recicladas de filmes antigos, exceto a única batalha original do filme, com um monstro que é uma representação de um garoto que comete bullying com o garoto. Pra piorar tudo, o divertido Minya sabe falar! Filme fraquíssimo."

x

Godzilla vs. Hedorah 1971

"Décimo primeiro filme do Godzilla. Mais um filme diferente. A questão tratada dessa vez é a poluição. Hedorah, o monstro tóxico, é quase que invencível. Sua pele é ácida e queima quem a toca. A poluição transmitida por ele pode ser fatal, matando desde plantas a seres humanos e derretendo construções. Ele pode mudar de forma. Em líquido, mais parece a Bolha Assassina. Foi provavelmente a batalha mais difícil que o Godzilla participou, já que sua força e seu laser não adiantavam de nada num monstro que podia se regenerar. Mas como todo bom filme do Godzilla, não podia faltar alguma tosqueira, e a desse no final é em palavras hehe"

x

Godzilla vs. Gigan 1972

"Décimo segundo filme do Godzilla. Uns aliens querem dominar a Terra (novamente) e controlam King Gidorah e Gigan, atraindo Godzilla e Angilas pra batalha. Claro que antes ocorre muita coisa, já que temos a trama humana como em qualquer filme.

Temos tb algo inusitado: Chegam a mostrar o que o monstros conversam em forma de balõezinhos [que nem hq], embora ocorra em apenas duas cenas (descartável, o legal é imaginar o que eles tão falando, mas acaba sendo engraçado por ser tosco, diferente de outro filme que há intérprete e não incomoda).

Sobre os aliens, a trama deles é até mais simples que de outros filmes da franquia que envolvem aliens (que não costumam ser tão bons assim), porém é melhor que a maioria. Já a origem deles... melhor nem comentar. Pior que eu já imaginei algo parecido. E não se esqueçam do Gigan, o monstro com barriga de serra elétrica haha"

x

Godzilla vs. Megalon 1973

"Décimo terceiro filme do Godzilla. Godzilla mestre do kung fu, badass e bom amigo. Inesperadamente, pela primeira vez temos a presenta de um robô que mais parece ter saído de um tokusatsu: Jet Jaguar. Os dois se unem pra enfrentar Megalon, vindo de um reino subterrâneo, e Gigan, que detonou o Godzilla no filme anterior. Olhem só, dessa vez não são aliens querendo dominar o mundo, são humanos haha Sem muito a declarar. Destaque pra voadora do Godzilla."

x

Godzilla vs. Mechagodzilla 1974

"Décimo quarto filme do Godzilla. Não sabia que haviam macacos no espaço que se disfarçaram de humanos haha Oh, Planeta dos Macacos Espaciais? Aqui tem uma profecia doida de que um monstro destruiria o mundo e caberia a dois outros monstros salvarem. No caso, um tal de King Caesar e Godzilla. O destruidor (ué, mas os "salvadores" tb destroem muito) é o Mechagodzilla, uma versão robótica do Godzilla (dã). O legal aqui é que temos mais um monstro difícil, com uma pele impenetrável porém um ponto fraco bem vulnerável se descoberto. É um bom filme, apesar de mais uma vez envolver aliens querendo dominar o mundo, e o disfarce nem é uma ideia nova."

x

O Terror do Mechagodzilla 1975

"Décimo quinto filme do Godzilla, último da primeira série. Continua o filme anterior e serve como um bom complemento. Tem um tal de Titanosauro descoberto por um doutor rejeitado, umas coisas assim. Não há muito o que comentar. Pra um filme de encerramento, soou mais como um filme qualquer da franquia. Não que desmereça a obra. Só acho que se esqueceram que os aliens são macacos, pq quando um morre, não se transforma."

x

ERA 2

x

O Retorno do Godzilla 1984

"Décimo sexto filme do Godzilla, primeiro da segunda série. Ignorando as 14 continuações anteriores, esse filme do rei dos monstros é um recomeço da franquia. Toda a tosqueira é deixada de lado e a seriedade presente no primeiro filme retorna. Aqui o Godzilla não enfrenta monstros gigantes, voltando com o embate do primeiro filme exclusivamente entre ele e os humanos. A trama humana é simples e boa. Há alguns probleminhas técnicos, mas dá pra deixar passar se levarmos em conta a época em que o filme foi feito. De início não tava muito confiante, mas ao fim o filme me convenceu."

x

Godzilla x Biollante 1989

"Décimo sétimo filme do Godzilla. O retorno dos filmes de batalha contra outros monstros gigantes. Dessa vez é... bem... uma planta gigante que possui o dna do Godzilla e que possuía ou não (vc leu certo) a alma de uma pessoa. Não ria, o filme se leva a sério. Uma trama humana um pouco viajada e meio sem rumo, com erros no roteiro. Sei que tem uma garota que conversa com plantas e sente onde tão os monstros (ou algo do tipo). De começo estranhei o nível de batalha entre Godzilla e uma planta dessas, mas foi mostrando seu potencial. A batalha final é boa."

x

Godzilla Contra o Monstro do Mal 1991

"Décimo oitavo filme do Godzilla. Tentando inovar, o filme acaba bagunçando o monstrão, mas traz elementos a la Jurassic Park e Exterminador do Futuro antes deles terem sido lançados. E Star Trek. Tem aliens, mas dessa vez eles não trazem o King Ghidorah pra Terra. Aqui temos viagem no tempo! E andróide! E bichinhos fofinhos que... ok, vou manter segredo. De leva o filme ainda mostra como o Godzilla era antes da bomba.

O principal problema é justo a viagem no tempo. Como é que todos continuaram sabendo do Godzilla se ele não mais existia? Acho que uma pergunta dessas basta por enquanto, ainda tive outras durante o filme. Tenho teorias, mas nenhuma que eu ache plausível até mesmo pra ficção.

A luta contra o King Ghidorah não é grande coisa inicialmente (depois melhora), mas só de ver o retorno do dragão de três cabeças vale a pena. O mais curioso é ver como o Godzilla lutou contra ele sozinho, coisa que no antigo ele precisou de ajuda em todos os filmes que o bicho apareceu. Apesar dos pesares, gostei da historinha humana."

x

Godzilla vs. Mothra 1992

"Décimo nono filme do Godzilla. Que filmão da franquia! O querido Mothra retorna numa história repaginada. Temos a volta das fadinhas, cantando como sempre, mas sem aquelas músicas que ocupavam 5 minutos de cena (por vez). A ilha por sua vez não existe aqui, ela foi inundada (ufa, sem cenas de rituais que ocupavam 10 minutos [por vez]). De acréscimo, temos uma profecia sobre fim do mundo e legado de Mothra, além da adição de Battra, o "Mothra Negro". A trama humana é boa e é diretamente ligada ao destino dos locais de batalhas no filme.

O campo de batalha está formado: Godzilla vs Mothra vs Battra... isso enquanto, numa ilha [não tão] distante dali, a Terra começa a se abrir e a cuspir lava, dando segmento a profecia do fim do mundo. É tudo grandioso.

A forma magistral que Mothra se transforma de lagarta em borboleta deve ser apreciada com a boa e relaxante música das fadinhas. Em contrapartida, a trilha agitada faz a transformação de Battra ser mais hardcore. A batalha final é colossal do início ao fim, ótimos momentos. E ainda há um encerramento emocionante."

x

Godzilla vs. Mechagodzilla II 1993

"Vigésimo filme do Godzilla, primeiro da trilogia que une personagens principais japonesas e alguns americanos aqui e ali. Muito cara de Sessão da Tarde graças ao Baby Godzilla, que acaba tirando a seriedade do filme. E a telepata agora tem uma escola de crianças com o mesmo dom! Gostei de como Rodan e Baby Godzilla foram inseridos, trouxe um sentido maior que nos filmes antigos. A trama humana é ok. Confesso que não fiquei tão surpreso com o Mechagodzilla, mas deu pro gasto. Achei legal a ideia de ser um robô gigante controlado por humanos, como nos tokusatsus. Pelo menos aqui ele é como um robô mesmo, não tinha fantasia de Godzilla haha"

x

Godzilla vs. SpaceGodzilla 1994

"Vigésimo primeiro filme do Godzilla, segundo da trilogia que une personagens principais japoneses e alguns americanos aqui e ali. Viajei enquanto assistia, em alguns momentos o filme parecia sem rumo. Agora tem um centro pros telepatas, um projeto de tentar controlar o Godzilla por telecinesia. O Baby Godzilla tá com um visual infantil demais, mesmo tendo crescido bastante desde o anterior (felizmente mal aparece no filme). O SpaceGodzilla é duro de matar, mas não chega a ser um monstro marcante. A luta dura até mais do que o necessário. O destaque vai pra trama humana, trazendo alguns personagens do anterior de volta, em especial a equipe do centro de defesa contra o Godzilla."

x

Godzilla vs. Destoroyah 1995

"Vigésimo segundo filme do Godzilla, terceiro da trilogia que une personagens principais japoneses e alguns americanos aqui e ali, último da segunda série. Uma boa forma de encerrar uma geração, repleto de ligações com o filme original.

Com novamente o retorno de alguns personagens dos dois filmes anteriores, o centro de defesa contra o Godzilla continua a todo vapor. Godzilla por sua vez vira uma bomba, a ponto de poder explodir e levar o mundo consigo. Procurando por um fim definitivo a tudo aquilo, alguns cientistas tentam recriar a famosa arma utilizada no primeiro filme da franquia. Sem "ingredientes", eles pegam pedaços do solo onde a bomba foi utilizada pra descobrir como fazê-la, mas acabam encontrando um ser modificado que desfaz tudo que ataca, que foge e começa a crescer e a se multiplicar. Quando se unem, ficam absurdamente imensos.

O caos está formado, os humanos só podem usar armas congelantes, já que o Godzilla não pode ser atacado por um explosivo. Enquanto isso esses seres estranhos começam a destruir toda a cidade. O Baby Godzilla, que estava considerado morto, já está gigante (embora bem menor que seu pai) e vira alvo dos tais seres. O resultado é uma batalha contra um Godzilla furioso e desesperado, com o corpo de desfazendo e cuspindo fogo tão quente quanto a lava!"

x

ERA 3

x

Godzilla 2000 1999

"Vigésimo terceiro filme do Godzilla, primeiro da terceira série. Um recomeço que não é recomeço, trazendo de novo uma melhoria gráfica e o uso do cgi. Aqui o Godzilla parece já ter atacado antes e decidem por um fim quando ele retorna mais uma vez (como sempre). Não especifica quais filmes anteriores foram aceitos e quais foram rejeitados. A história humana é ok, as cenas de luta dos monstros são boas, mas o monstro mesmo é bem sem graça."

x

Godzilla Vs. Megaguirus 2000

"Vigésimo quarto filme do Godzilla. Aqui consideram apenas o primeiro filme do Godzilla e o ataque solo dele do segundo filme. Quando o monstrão retorna, há um projeto de deter ele de vez usando um disparador de buraco negro (!!!). A trama humana serve mais pra iniciar a história e, claro, influenciar a batalha com os soldados. O vilão é um inseto de outra dimensão que se multiplica, mas o "chefão" deles tá só esperando a hora de atacar. Esse é o filme que mais usa cgi descaradamente. Enfim, é um bom filme, tem boas cenas de luta e é considerado por alguns um filme mais detalhado que outros da franquia."

x

Godzilla, Mothra and King Ghidorah - Giant Monsters All Out Attack 2001

"Vigésimo quinto filme do Godzilla. O filme considera apenas o primeiro filme da franquia e o ataque do Mothra (de algum filme), além do ataque de um outro monstro de outro filme. Com 3 mitos no título, tinha como dar errado? Na verdade tinha, mas felizmente deu certo.

Godzilla possuído, sinistro, mal, decide atacar o Japão com tudo. Enquanto isso, na trama humana, um velho diz sobre uma profecia e convoca os monstros guardiões pra salvar a Terra: Baragon, Mothra e King Ghidorah (sim, Ghidorah aqui é do "bem"). Há diversos personagens, mas a principal é uma mulher que trabalha pra uma empresa de filmes de baixo orçamento. Também há alguns aleatórios.

É tensão do início ao fim, como uma grande cena de ação com uma luta que dura o dia todo. Primeiro o Godzilla e o Baragon se enfrentam, mas Baragon leva a pior. Então Mothra e King Ghidorah chegam pra tentar detê-lo. Curioso que as fadinhas de Mothra não aparecem no filme. E Mothra aparece tanto em lagarta quanto em borboleta. Ótimo filme da franquia."

x

Godzilla Against Mechagodzilla 2002

"Vigésimo sexto filme do Godzilla. Consideram apenas o primeiro filme da franquia. O Godzilla que retorna aqui não é o mesmo do primeirão, aquele tá morto, esse é um outro Godzilla. Com o retorno dele depois de um longo tempo, decidem construir um Godzilla robótico usando os ossos do primeiro Godzilla como base. A trama humana tem partes boas, partes ruins, mas a maioria dos envolvidos são a equipe contra o Godzilla, assim como aconteceu no final da segunda série da franquia. Os humanos mais uma vez influenciando o rumo das batalhas. Não é por menos, eles estão controlando um robô que tem vida própria. É como se a Skynet deixasse vc controlar ela, depois de destruir parte da cidade, coisa que é tratada com seriedade, mostrando o lado dos soldados e do governo. Bom filme."

x

Godzilla: Tokyo S.O.S. 2003

"Vigésimo sétimo filme do Godzilla. Diferente dos anteriores da terceira série, esse filme é continuação direta do anterior, trazendo de volta o Mechagodzilla, os soldados e alguns personagens. O filme acrescenta na lista de considerações o ataque do Mothra e o primeiro encontro com as fadinhas. Era de se esperar que o Godzilla voltasse, mas o governo não estava preparado pra um segundo ataque, já que o Mechagodzilla não estava consertado. Com o caos, Mothra é convocado pra salvar o Japão. Só que Mothra quer os ossos do primeiro Godzilla de volta, senão destruirá a Terra. Que isso, Mothra, pensei que fosse bonzinho haha Com Mothra perdendo, Mechagodzilla é mandado do jeito que tá pra ajudar. Ótimas cenas de batalha, roteiro melhor que do filme anterior e um bom final."

x

Godzilla Batalha Final 2004

"Vigésimo oitavo filme do Godzilla, último da terceira série Pra encerrar temporariamente a franquia, um filme especial de 50 anos foi planejado. E qual a melhor forma de fazer isso? Botando o Godzilla pra enfrentar diversos monstros dos filmes anteriores. O filme considera os ataques dos monstros gigantes de diversos filmes, mas não necessariamente seus filmes.

O estilo é o mais diferente da franquia. A trama envolve uma equipe de humanos e mutantes combatendo aliens que copiam os corpos das pessoas, controlam os mutantes e os monstros gigantes (menos o Godzilla). Os aliens então mandam os monstros destruírem a Terra, daí os humanos libertam o Godzilla.

As batalhas são frenéticas, o ambiente é devastador, a trilha é agitada, o clima é apocalíptico. Pena que o Godzilla tá forte demais. Demais mesmo! O que ele levava minutos pra enfrentar nos filmes anteriores, ele derrotava em muito pouco tempo. E até mais de um de vez. Pena também que as batalhas não ocupam boa parte do filme. O filme possui muito mais foco na trama humana, que é ok. Ainda assim, são cenas épicas. A trilha ajuda bastante, com um rock pesado acompanhando Godzilla contra os monstros e os humanos e mutantes contra os aliens.

Pra um encerramento de franquia, o filme é até adequado, uma grande compilação de "nostalgia". Tudo aqui é reciclado, todas as ideias foram utilizadas nos filmes anteriores (só os mutantes que não tinham antes, mas tinha algo parecido). Apesar dos pesares, Final Wars é uma grande homenagem a própria franquia e um filme voltado para os fãs, agora bem ao estilo tokusatsu."

x

ERA 4

Shin Godzilla 2016

"Gojira está de volta! Depois de 12 anos, é hora de recomeçar. Os japoneses entregam um bom filme de introdução com um Godzilla repaginado e sem ligação com os filmes anteriores. O rei dos monstros está tão forte que dizer que exageraram é pouco, principalmente no quesito da rajada de energia. Quem viu os trailers já sabe o que esperar, mas independente disso o filme ainda guarda surpresas que podem estranhar, como na primeira aparição do Godzilla. É um colosso evolucionário,

Os personagens da trama são diversos. Não há muito aprofundamento e quando há é bem "raso". São o que são e cumprem seus papéis. Diversas pessoas envolvidas em prol de um objetivo: Buscar um meio para deter aquele ser que apareceu no Japão e está destruindo tudo.

A trama reflete os personagens, que estão o tempo todo buscando o objetivo, além da crítica contra os Estados Unidos por se intrometerem em tudo e tomarem posse como bem entenderem e a compaixão japonesa de sempre proteger os cidadãos para que não passem pelo que os sobreviventes da 2ª Guerra passaram.

O estilo do filme mescla algo totalmente diferente dos anteriores, mas ao mesmo tempo possui cenas com clima semelhante aos antigos, sendo ajudado pela trilha sonora, com direito ao tema original, e a forma como as cenas de ação são gravadas.

Destaque pra primeira cena da rajada de energia que o Godzilla solta, com uma música épica de fundo e um cenário noturno. O poder liberado chega a ser surreal até mesmo se comparado com suas versões anteriores. Marcante. Grandioso. Magnífico. Que venham mais filmes!"

x

quinta-feira, 20 de julho de 2017

[GEEKABLE] Resident Evil: Vingança

Link: https://geekable.com.br/14857/resident-evil-vinganca-critica/

[GEEKABLE] Okja

Link: https://geekable.com.br/14815/okja-critica/

[JAM STATION] Piratas do Caribe 5: A Vingança de Salazar

Link: http://www.jam-station.com/2017/05/piratas-do-caribe-5-mortos-vinganca.html

[GEEKABLE] Hacker - Todo Crime Tem Um Início

Link: https://geekable.com.br/13855/hacker-todo-crime-tem-um-inicio-critica/

[LEO NERD] Kong: A Ilha da Caveira

Link: https://www.facebook.com/leonerdices/photos/a.360432400703077.85964.360099864069664/1243283075751334/?type=3&permPage=1

[LEO NERD] Mulher-Maravilha

Link: https://www.facebook.com/leonerdices/photos/a.360432400703077.85964.360099864069664/1329238587155782/?type=3&permPage=1

[LEO NERD] Transformers: O Último Cavaleiro

Link: https://www.facebook.com/leonerdices/photos/a.360432400703077.85964.360099864069664/1373932712686369/?type=3&permPage=1

domingo, 14 de maio de 2017

[RASCUNHO] Mad Max: Estrada da Fúria (hq)

~Publicado originalmente em redes sociais.

Quatro edições que se passam em algum futuro não localizado, mas contam o prelúdio do quarto filme.

Na primeira temos a origem de Nux e Immortan Joe, desde o fim do mundo até a criação do reino que se passa o filme. Talvez a edição mais importante por tratar de origens e explicar as mudanças. É interessante acompanhar o surgimento dos personagens.

Na segunda conta como a Furiosa conheceu as esposas do Immortan Joe. Polêmico e criticado, apresenta basicamente a vida das esposas, que é sofrer e gerar filho. Não acrescenta muito na trama, já que o filme meio que repete parte dele (mesmo se passando depois), e a Furiosa fica em segundo plano.

As duas últimas são do Max, resgatando elementos dos filmes anteriores. Na primeira parte conta a batalha na 'nova' Cúpula do Trovão e na segunda uma aventura com uma mulher em busca de sua filha. Esse arco serve como uma ponte entre o terceiro e quarto filme. De início resume toda a trilogia anterior para então mostrar que Max ainda está vivendo sua vida por aí, mostrando como ele recuperou suas coisas.

Pela grande qualidade do filme, fiquei curioso quanto as hqs, mas pela experiência, fiquei duvidoso quanto ao resultado. Felizmente foi positivo. Não que seja necessário, até porque se não tá no filme é apenas complemento, mas pra quem se interessa pelos personagens e quer saber suas origens ou como eles chegaram ao ponto que eram no quarto filme, vale a pena.

[RASCUNHO] The Ghost in the Shell (mangá)

~Publicado originalmente em redes sociais.

Preciso colocar meu cérebro num balde de água fria com gelo, porque a leitura foi pesada. Se a animação já bugou a mente de muitos, o mangá é pra explodir, embora a ideia seja a mesma (só que na animação bem resumida). O filme americano não, só fica na ponta do iceberg mesmo rs

Por mais que a animação tenha marcado, o mangá que deu origem é bem diferente. Primeira coisa que notei é que a trama não é apenas séria, misturando comédia em diversos momentos. E funciona muito bem.

Também não fica o tempo todo em questões 'filosóficas', embora estejam de fundo e tenha sim seus momentos de foco, indagando sobre a vida e tudo o que forma a noção de existência. [Partindo do princípio que os humanos podem modificar seus corpos, até mesmo sobrando apenas o cérebro de original, e que a "alma" pode ser hackeada, ou seja, a pessoa pode ser controlada, ter sua mente modificada, etc, três perguntas 'básicas': A pessoa ainda é humana? Ela está viva ou está morta e vive uma falsa ilusão de vida? O que diferencia essa pessoa de uma inteligência artificial tão avançada que é programada para se melhorar automaticamente e chega ao ponto de conseguir sua própria independência e fazer o que bem entender?].

Na verdade tudo nesse universo já faz refletir, mesmo que indiretamente. Fora isso, há coisas óbvias pelo mangá ter mais 'espaço', como maior exploração de alguns temas, como política e sociedade, embora esse segundo seja bem "específico" quando desenvolvido.

Notei que a obra se utiliza de uma boa dose de estudos reais em meio ao conteúdo inventado pelo escritor. É uma mesclagem de informações e um detalhismo que em alguns momentos chega a 'incomodar'. Nas páginas há anotações do escritor explicando os conteúdos, sua visão, etc. Claro que isso pode ser ignorado, embora seja interessante para melhor compreensão (além de um bom aprendizado em alguns casos rs).

A história é como uma grande saga, um conjunto de histórias (arcos) que seguem uma ordem cronológica, o que dá uma noção maior de tempo aquele universo. Em geral é uma obra bem curiosa. Bebeu de fontes anteriores e serviu de inspiração para fontes posteriores.

SOBRE MIM

Minha foto
Em 2008 criei um blog por experiência. Queria saber como era um blog. Inicialmente era apenas para reunir o que eu achava de legal pela internet. Dois anos depois, em 2010, criei meu blog com críticas de filmes, já que, embora eu não seja experiente nesse ramo, gosto de ver filmes, de entendê-los e tal. Em 2014 vieram as mudanças. O blog que reunia o melhor da internet virou um blog de matérias e histórias que eu mesmo escrevo. O blog que continha críticas de filmes, séries, curtas, shows, etc, agora são apenas filmes e séries devido a enorme demanda de conteúdo. Os modos de escrita também estão mudando para melhor. Fiquem ligados para novidades.