segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Quadrilogia O Apocalipse

~Publicado originalmente em redes sociais~


Não sei se tem um nome exato, mas a franquia é comumente referida como 'quadrilogia profética' ou 'quadrilogia do apocalipse', mas alguns preferem dar o nome de 'quadrilogia O Apocalipse'. São 4 filmes (dã) sobre o apocalipse (dã). É como um enorme filme dividido em 4 partes, ou meio que 2 filmes divididos em duas partes cada. Basicamente uma série de filmes, onde um continua o outro de onde parou.

- Um Ladrão na Noite

Primeiro filme da quadrilogia "O Apocalipse" (quadrilogia profética, quadrilogia do apocalipse).

Prelúdio do que está por vir. Acompanhamos os últimos dias/meses/anos (não há noção de tempo) antes do Arrebatamento descrito na Bíblia. Filme curto, com menos de uma hora de duração, nos apresenta os personagens, tanto cristãos quanto ateus.

A trama tem início quando um grupo de amigas ouvem um garoto falar sobre o apocalipse. Ela, que é ateia, acaba se convertendo e tenta chamar suas amigas pra Jesus, mas elas parecem recusar. Por ser curto, o filme não vai muito além, com uma ou outra coisa a mais na história e terminando com os primeiros segundos do arrebatamento. O filme também explica passagens do livro de Apocalipse. E temos alguns questionamentos de ateus e falsos pastores que são explorados no filme.

Pra avaliar o filme, deve-se levar em conta o baixo orçamento e o público alvo, assim acaba se tornando um bom filme, ou pelo menos assistível. A abertura soa tosca, amadora demais, já o encerramento, dá aquele clima de tensão de que as coisas vão ficar mais sérias ainda, mas acaba terminando de forma brusca, como se tivessem cortado o filme no momento que se iniciaria o clímax, o que não deixa de ser verdade, meio que é isso mesmo.

Alguns problemas de roteiro, algumas transições de cenas mal feitas, mas não representa sua maior parte. Não chega aos padrões de um grande filme, mas acaba funcionando mais pelo tema apresentado que pelo desenvolvimento. Além, é um prelúdio da verdadeira história.

- A Grande Tormenta

Segundo filme da quadrilogia "O Apocalipse" (quadrilogia profética, quadrilogia do apocalipse).

Continua de onde o anterior parou, mas em forma de flashback. A história aqui já se passou um tempo desde o arrebatamento e mostra que as pessoas estão sendo obrigadas a implantar a marca da besta. Caso a pessoa não queira, é morta pelo governo. Enquanto os personagens estão esperando seu suposto fim, a personagem do filme anterior relembra o que aconteceu depois do arrebatamento e como ela foi parar ali.

As profecias continuam se cumprindo e a chegada do Anticristo é avisada, enquanto os cristãos começam a se refugiarem em diversos locais. Acompanhamos um grupo de amigas tentando sobreviver a esse novo mundo onde é preciso da marca pra comprar alimentos. Os questionamentos de 'ateus' retornam no filme, já que uma personagem não consegue aceitar tudo o que está acontecendo. Na verdade, de alguém que ainda tem dúvidas se se torna cristã ou não.

Em relação ao anterior, o filme dá uma melhorada significativa, com uma história melhor. Mesmo trazendo alguns novos personagens, alguns antigos estão de volta. Como disse, a história continua, coisas vão acontecendo, os cristãos tão sendo perseguidos: ou se marcam ou morrem. Assim como o anterior, tem um encerramento brusco, na verdade mais brusco ainda, realmente termina do nada. Ainda tem alguns problemas de roteiro e transições de cenas mal feitas, mas também não representa sua maior parte. E temos novamente explicações de passagens do livro de Apocalipse.

- A Imagem da Besta

Terceiro filme da quadrilogia "O Apocalipse" (quadrilogia profética, quadrilogia do apocalipse).

O filme começa com uma cena curta qualquer e então retorna para onde o anterior parou, dando prosseguimento a cena interrompida. Aqui temos o encerramento desse arco e o início de outro. Tudo está conectado.

Agora somos apresentados a novos personagens, dessa vez com homem, mulher e criança. Eles são cristãos e estão buscando meios de burlar o sistema da marca, tendo de fugir do exército e de todos aqueles que os querem com a marca. Alguns personagens antigos retornam, afinal, são importantes na história. Só soa meio forçado o fato de alguns se conhecerem. Apresenta um personagem novo, ele encontra um antigo e pronto, já se conheciam. Sempre acontece isso com pelo menos alguém.

Dessa vez o Anticristo está começando a tomar posse do mundo e as coisas estão ficando cada vez mais complicadas, ainda mais quando o exército descobre que os cristãos refugiados estão burlando o sistema e tentando derrubá-los. Acompanhamos esses novos personagens fazendo de tudo pra sobreviver e fugir, conhecendo cristãos, ateus e satanistas no caminho.

Assim como o anterior, o filme também não escapa do encerramento brusco, embora não seja tão brusco como o anterior. Ainda continua com alguns problemas de roteiro e transições de cenas mal feitas, mas, novamente, não representa sua maior parte. E mais uma vez temos explicações de passagens do livro de Apocalipse.

- Agonia do Planeta

Quarto filme da quadrilogia "O Apocalipse" (quadrilogia profética, quadrilogia do apocalipse).

Como o anterior, começa com uma cena curta qualquer e então, como as continuações, retorna para a cena de onde o anterior parou, dando prosseguimento a ela. Dessa vez é o fim de tudo. Agora são pouco mais de duas horas de filme, o mais longo.

O mundo está devastado, falta alimento, água e o calor está insuportável. O Anticristo já governa a Terra e restaram poucos cristãos, já que a maioria foi morta. Novamente temos novos personagens na trama, mas também o retorno de alguns antigos. Acompanhamos o personagem do anterior com seus novos amigos, dessa vez equipados contra o exército. Eles possuem um carro com um computador conectado direto a central e buscam chegar ao local descrito num código que precisam descriptografar, que os levarão até o local onde estão um grupo de cristãos refugiados. Mais uma vez há questionamentos de ateus durante o filme, mais que os outros até, já que uma das personagens insiste em não crer.

Assim como todos os filmes da franquia, ainda há alguns problemas de roteiro (até mais grave que os anteriores) e transições de cenas mal feitas, mas, novamente, não representa sua maior parte. Há um acréscimo de cenas de ação mais que os anteriores, que se focavam mais no drama que era do cristão sobreviver a esse mundo satânico. Mas como já tava tudo acabado e o mundo poderia terminar a qualquer momento, decidiram fazer a história final da humanidade.

~Nota 7/10

Podem ter defeitos, aberturas duvidosas, encerramentos bruscos, transições de cenas mal feitas, problemas no roteiro, mas trazem elementos que muitos filmes com esse tema esquecem, como os questionamentos de ateus perante o ocorrido, ou duvidando sobre Deus ou não querendo se entregar a Deus exatamente por tudo o que está acontecendo. E isso é durante toda a franquia, sempre temos personagens 'ateus' junto com cristãos. O tema de falso pastor é até explorado em outros filme, nesse também tem seu momento. Ainda temos o bônus de explicações de passagens do livro do Apocalipse durante os filmes, apontando o que aconteceu e o que está por vir. E ainda traz algo diferente ao não focar no Anticristo em nenhum momento além das pronúncias dele pela mídia. É filme de cristão pra cristão, um ateu por exemplo talvez não se interessasse tanto, apenas nos questionamentos dos personagens ateus sobre Deus, que nem ocupam tanto tempo dos filmes. Mesmo assim é uma boa franquia, só faltou um desenvolvimento melhor, embora haja ótimas cenas pelos filmes. Talvez o problema nem seja desenvolvimento de fato, mas faltou algo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SOBRE MIM

Minha foto
Formado em jornalismo e futuro escritor de livros. Criei um blog em 2008 por curiosidade para reunir o que achava de melhor na internet. Em 2010 criei outro blog para críticas de filmes e afins. Buscando apresentar uma identidade mais pessoal, em 2014 reformulei ambos. Hoje servem mais como meios de divulgação para matérias que publico em outros sites.