domingo, 22 de março de 2015

O fim de Glee [post especial]

~Post originalmente publicado em redes sociais.

~Entenda isso aqui como uma "crítica especial" ou simplesmente um comentário~


 O fim de Glee

"E depois quero sair daqui como seu eu fosse ver todos no clube glee amanhã. Então não será um adeus." ~Bem isso. Terminei de ver o episódio como se fosse mais um episódio, já com vontade de assistir ao seguinte. Acontece que não terá um episódio seguinte.

Tudo tem um fim. E para Glee esse fim chegou. Foram anos acompanhando a série que me ajudou a vencer preconceitos e ter um novo olhar sobre as pessoas. Tiveram altos e baixos, muitos baixos até, já cheguei a me perguntar o motivo de continuar assistindo, mas a explicação é simples: Valia a pena. Os altos eram marcantes, viciantes, não dava pra simplesmente abandonar. Além, haviam bons personagens, uma história que se levava a sério mas nunca deixava de se "auto-zoar" sempre que possível (Sue que diga, a personificação dos haters da vida real) e boas músicas. Muitas músicas e artistas eu sequer conhecia antes de Glee e hoje acabo ouvindo, tudo graças a Glee (olá, The Journey).

Ainda faltou muita coisa que gostaria de ver acontecendo em Glee, como um tributo a Elvis Presley (até imaginei o Finn cantando Love Me Tender pra Rachel), ou a Rachel cantando My Heart Will Go On (e cantando The Climb direito), ou a Tina tendo mais sorte nas coisas, mas foi bom terminar por aqui, por mais que eu queira mais. A série andava bem, mas depois das complicações e morte do Cory, o roteiro muita das vezes começou a parecer improvisado. Ora, realmente foi isso que aconteceu, não? Felizmente a série foi reconhecida e, em vez de ser cancelada, tivemos uma última temporada para nos despedirmos dos personagens. Não que fossem episódios ruins, gosto bastante de diversos episódios da "segunda trilogia" tanto quanto da "primeira", como o especial "Glease" (Grease), mas quem acompanhou sabe como foi.

Meu personagem preferido da série era o prof Will, seguido do Finn. Melhores vozes pra mim, masculino era o Blaine e feminino a Quinn, embora não seja nada definitivo, já que tb curto bastante a voz do Sam, do Artie, do Kurt, da Rachel, da Amber, da Santana, d... ok, de todos, ou pelo menos da maioria, até da Emma curtia, acho. Enfim. Poderia falar muito mais, mas não irei. Pelo menos não agora.

Glee vai fazer falta, isso será um adeus para o ineditismo, mas não um adeus para a série, os artistas e tudo o mais, afinal, mesmo que não saia nada novo daqui em diante, lembrarei e relembrarei de todos os momentos e continuarei ouvindo os covers de Glee, acompanhando os artistas em suas carreiras musicais e/ou de atores. Quando bater a saudade, assistirei alguma apresentação da série ou colocarei a música para ouvir no celular. Até mais, Glee Club.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SOBRE MIM

Minha foto
Formado em jornalismo e futuro escritor de livros. Criei um blog em 2008 por curiosidade para reunir o que achava de melhor na internet. Em 2010 criei outro blog para críticas de filmes e afins. Buscando apresentar uma identidade mais pessoal, em 2014 reformulei ambos. Hoje servem mais como meios de divulgação para matérias que publico em outros sites.