domingo, 14 de junho de 2015

IRIS - O Filme

~Publicado originalmente em redes sociais~


Foi bom pra relembrar o dorama, mas é inferior e tem vários problemas, é um resumo mediano, que funciona como resumo, mas como filme não. Pelo menos tem algumas cenas de ação do dorama, que é repleto de cenas de ação. Todo esse universo de espionagem já resultou em três doramas considerados os mais caros já feito. O primeiro filme resume o primeiro dorama. O filme foi lançado antes do dorama (primeiro gravaram o dorama e editaram como filme). Resume cerca de 18 horas de informação em apenas duas horas. Obviamente, muita coisa ficou de fora.

Um terço do filme não funciona. Enquanto o dorama, com mais de uma hora pra cada episódio, desenvolve bem os momentos e tem umas "enrolações" aceitáveis, o filme tenta contar tudo ao mesmo tempo. Nos primeiros minutos, as trocas de cenas são ruins demais, tudo muito corrido, não dá tempo de se acostumar com as coisas.

Porém aí vem a salvação. Quando metade do dorama já tá resumido e o essencial já foi contado, a história se desenvolve mais lentamente, como um filme mesmo. Até tem uma coisa ou outra rápida, mas é pouco mesmo. E isso é bom, até porque um filme deve desenvolver a história e dar tempo do público se acostumar.

Como eu disse, muita coisa ficou de fora, alguns personagens foram praticamente cortados, situações sumiram, etc. Devido a isso, algumas situações são "mudadas", o contexto é o mesmo, mas alguns acontecimentos simplesmente somem, como se não tivesse acontecido, como algumas mortes de alguns personagens. E aí entra um enorme problema: O filme deixa de explicar algumas coisas importantes, cabendo ao público usar a lógica e ir percebendo aos poucos o que aconteceu com tal personagem: caso esteja vivo, é só se ligar nas cenas. Caso o personagem suma, provavelmente deve ter morrido. Uma pena terem sido tão relaxados quanto a isso.

Apesar de ser um resumo, o final é inédito, mostrando depois do dorama, alguns minutinhos rápidos. O dorama termina em suspense, com um final arrasador de doer o coração. E no filme vemos o complemento da cena final, quem foram os responsáveis, qual foi o motivo daquilo ter acontecido, etc, e ainda colocam mais minutos depressivos pra pessoa ficar realmente triste com o polêmico final que repercutiu o mundo dos doramas e marcou quem acompanhou toda a série.

O dorama (novela/série/drama) é muito bom, até tem seus baixos, mas os altos valem a pena. Já o filme foi bem mais ou menos, primeiro correm demais com a história, depois começam a ir mais lentamente. Fora isso ainda tem os problemas de roteiro devido aos cortes, por mais que tentem encaixar tudo.

No fim, o filme serve mais pra quem quer relembrar o dorama e saber o que aconteceu depois. Bem que podiam voltar com a história na continuação, mas o máximo de citação que tem nem é na continuação, mas sim no spin-off. Obviamente tem personagens que retornam, mas os principais dos principais mesmo, param por aqui, já que eles são meros personagens num universo de espionagem criado no dorama, boa sacada até, mas deixa saudades.

Nota 6/10

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SOBRE MIM

Minha foto
Em 2008 criei um blog por experiência. Queria saber como era um blog. Inicialmente era apenas para reunir o que eu achava de legal pela internet. Dois anos depois, em 2010, criei meu blog com críticas de filmes, já que, embora eu não seja experiente nesse ramo, gosto de ver filmes, de entendê-los e tal. Em 2014 vieram as mudanças. O blog que reunia o melhor da internet virou um blog de matérias e histórias que eu mesmo escrevo. O blog que continha críticas de filmes, séries, curtas, shows, etc, agora são apenas filmes e séries devido a enorme demanda de conteúdo. Os modos de escrita também estão mudando para melhor. Fiquem ligados para novidades.