segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Prophecy (mangá)

~Publicado originalmente em redes sociais~

 Prophecy (Yokokuhan)



Mangá em 3 volumes que conta a história do "Homem-Jornal", que pune pessoas que fizeram o mal, e a Polícia Cibernética, que tenta capturá-lo. De início a premissa lembra um pouco Death Note, um cara que quer fazer justiça com as próprias mãos, a polícia que tá atrás dele mas nunca consegue capturá-lo, mas fica por aí mesmo. Prophecy é mais realístico, mais moderno. Temos a presença da internet na história. O justiceiro anuncia seus ataques por stream e realmente vai ao local e realiza os ataques pessoalmente.

Embora o mangá tenha sido aclamado, alguns dizendo que toda a história é excelente, etc, pra mim foi sim uma história muito boa até, mas não excelente, e a cada volume a história ia "enfraquecendo". Não, não foi ruim, pelo contrário, foi muito boa, mas o primeiro volume gerou todo aquele clima grandioso com o(s) Jornal anunciando os ataques, a polícia desesperada... O segundo isso já tava estabelecido, então foi basicamente a polícia tentando capturá-los enquanto tentava desvendar as identidades. O terceiro mostra as consequências do que ocorreu no final do segundo, que leva ao final "inesperado". Final esse que é uma mistura de "é só isso?" com "pensando bem...".

Legal é que a própria hq mostra os pensamentos da população, que estão o tempo todo interagindo através das redes sociais, então temos os mais diversos tipos de comentários, mas principalmente os maldosos e também de pessoas que só querem ver o 'circo pegar fogo'. A hq também passa uma imagem bem negativa da mídia, como totalmente manipuladora e sensacionalista, e não é bem assim na vida real, embora haja, e muito. Mas as coisas não ficam só em cima da mídia, vai além. Temos indagações sobre a internet ser segura ou não e também da justiça, dos ideais, mas isso já era de se esperar, não? Recomendo. Descobri que esse ano lançaram um live-action e um drama adaptando o mangá.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Jogos Vorazes: A Esperança - O Final

~Publicado originalmente em redes sociais~

Jogos Vorazes chega a seu possível último filme com "A Esperança - O Final" (título bem ruinzinho por sinal, um "Parte 2" já tava de bom grado, mas pelo menos não foi que nem Amanhecer: "Parte 2 - O Final"). Depois de um filme que dividiu opiniões e foi considerado o mais fraco da franquia, tanto por crítica quanto por público, chega mais um filme que dividiu opiniões. Nessa onda desnecessária de divisão em duas partes, o último longa do Tordo começa de onde o anterior parou pra por um fim a toda aquela história. É um bom filme, mas não compensa tal divisão.

Parte do filme possui o mesmo clima da Parte 1, só que menos monótono. Katniss para no tempo e continua aquela garota que sofre por tudo, que é boazinha com todo mundo, mesmo que tentem matá-la. Ela continua sendo manipulada e usada pelos rebeldes, mas nem liga para isso, já que tudo o que quer é matar o Snow, ou simplesmente que alguém a mate antes. Logo o esquema da Parte 1 se repete: Umas cenas de ação aqui e ali, vários diálogos, cenas silenciosas, etc. As coisas melhoram quando Katniss se revolta e vai pro campo de batalha. FINALMENTE! Mas como nem tudo são flores, decidem aumentar as cenas do chato triângulo amoroso. Se bem que é o último filme, dá pra entender, tem que resolver de uma vez.

Outro ponto é que Katniss vira uma mera personagem longe dos campos de batalha mesmo quando tá no próprio campo de batalha. Ela é obrigada a ficar onde está, enquanto a guerra rola bem na sua frente. Porém, como esperado, em diversos momentos as coisas saem do controle e ela acaba entrando em meio ao fogo cruzado. É lutar, fugir e sobreviver. Os Jogos Vorazes acabaram, mas os perigos parecem sair das arenas para ocorrerem nas ruas evacuadas da Capital, repletos de armadilhas das mais sinistras. Quanto mais perto do Snow, mais perigoso fica.

Uma das cenas mais tensa ocorre no esgoto, que também é de longe a mais viajada, se tornando estranha até mesmo pro universo criado ali. Mas é tão boa que dá pra relevar esse detalhe. Outra é logo depois dessa, dando pouco espaço para descanso.

O clímax que todos esperamos não é o ponto forte da trama, mas não darei spoiler. Enquanto alguns acontecimentos acompanhamos em detalhes, outros até mais importantes simplesmente são pulados ou mostrados de longe, o que pode incomodar alguns. Apesar das reviravoltas, tais revelações não surpreendem, mas garantem ótimos momentos, se tornando mais interessantes.

Uma das cenas que menos gostei foi o encerramento. Achei bobo, clichê, chato. Talvez o mesmo acontecimento mas desenvolvido de outra forma poderia ter ficado bem melhor. Tudo bem, depois de tudo o que aconteceu vir aquilo, ok, mas soou tão forçado e artificial...

A Esperança O Final pode não ser melhor que Jogos Vorazes e E Chamas, mas é melhor que sua primeira parte, que considero um bom filme porém arrastado demais, falho em equilibrar seus momentos. Aqui temos os mesmos elementos do anterior só que melhorados, agora com muito mais ação. As cenas vão se tornando cada vez mais grandiosas a cada momento. Os diálogos continuam ótimos.

~3D fraquíssimo~
~Povo do cinema gritava direto~

Nota 8/10

SOBRE MIM

Minha foto
Formado em jornalismo e futuro escritor de livros. Criei um blog em 2008 por curiosidade para reunir o que achava de melhor na internet. Em 2010 criei outro blog para críticas de filmes e afins. Buscando apresentar uma identidade mais pessoal, em 2014 reformulei ambos. Hoje servem mais como meios de divulgação para matérias que publico em outros sites.