domingo, 22 de maio de 2016

Assassination Classroom (Ansatsu Kyoushitsu) (mangá)

~Publicado originalmente em redes sociais~


Assassination Classroom (Ansatsu Kyoushitsu)

Com um humor duvidoso, Assassination Classroom foi muito além de alunos tentando matar seu professor. Foi uma história de vida, aprendizagem e superação. Uma lição de como ser uma boa pessoa. Um modelo de como um professor deve ser em relação aos seus alunos, modelo esse que está em falta nos dias de hoje. Lembro quando comecei a ler esse mangá, ainda em sua época de estreia, quando nem tinha site traduzindo frequentemente os capítulos. Depois de um bom tempo sem ler, descobri que já estavam traduzindo, assim como a confirmação do lançamento no Brasil. Voltei a ler esse ano disposto a ir até o fim. Coincidentemente, o mangá foi encerrado esse ano também. Que história! Vai deixar saudades. A premissa viajada foi o que mais chamou a atenção. Um polvo supostamente destruiu a Lua e disse que iria destruir a Terra em um ano. Para tentarem impedi-lo, uma classe rebaixada de uma escola conceituada começou a ser treinada para matá-lo, sendo ele mesmo o professor. Com esse objetivo, a história acompanhou e desenvolveu a relação professor-aluno e se utilizou do cotidiano para seu foco: Mostrar os alunos sobrevivendo as dificuldades do dia a dia (pressão, humilhação, coisas do tipo), enquanto pensavam em seus futuros e treinavam para se tornarem não só assassinos, mas pessoas de caráter. Dá pra estranhar a trama, que rende momentos bizarros e hilários, com crianças sorrindo enquanto tentam matar seu professor ao mesmo tempo que estudam, mas acredite: Ela é ótima. Mesmo com tanto humor, ainda temos o lado dramático quando é necessário. O mangá acaba sendo uma mistura de gêneros, com arcos que podem ser bem diferentes um dos outros, mas nada que não fuja do padrão japonês. Composto de um envolvimento especial com o leitor, pode-se até ignorar os defeitos que a história possui, como alguns arcos que não acrescentam nada de significante na trama, soando como momentos de service com clichês básicos japoneses que eu particularmente não curto. Felizmente, o mangá salva a si mesmo desses momentos de mesmice graças a própria trama, que é mostrar os alunos criando meios de assassinar seu professor, então nada é realmente em vão. Quanto mais me aproximava do final, mais a curiosidade aumentava. Reviravoltas inesperadas aconteciam para que tudo não se tornasse repetitivo. Introdução de novos personagens, retorno de antigos, mudanças drásticas nas relações dos personagens, coisas básicas para uma história prosseguir. Além, claro, de reviravoltas marcantes. Assassination Classroom foi um ótimo mangá de acompanhar, e olha que raramente acompanho algum. A ideia de usar técnicas utilizadas para o mal em coisas boas foi uma sacada ótima, mostrando que, quando a arma está em nossas mãos, nós temos o poder de salvar ou destruir. As críticas sociais presentes na história foram bem feitas e deixaram claro seus reais motivos. No fim, a história foi uma grande lição de como ser um professor de verdade e o quanto ele tem a ensinar sobre a vida para seus alunos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SOBRE MIM

Minha foto
Em 2008 criei um blog por experiência. Queria saber como era um blog. Inicialmente era apenas para reunir o que eu achava de legal pela internet. Dois anos depois, em 2010, criei meu blog com críticas de filmes, já que, embora eu não seja experiente nesse ramo, gosto de ver filmes, de entendê-los e tal. Em 2014 vieram as mudanças. O blog que reunia o melhor da internet virou um blog de matérias e histórias que eu mesmo escrevo. O blog que continha críticas de filmes, séries, curtas, shows, etc, agora são apenas filmes e séries devido a enorme demanda de conteúdo. Os modos de escrita também estão mudando para melhor. Fiquem ligados para novidades.