domingo, 14 de maio de 2017

[RASCUNHO] Alice Através do Espelho

~Publicado originalmente em redes sociais.

"Que viagem é essa, véi?" rs Enquanto o primeiro buscou recontar a história de Alice, já adulta, numa versão mais 'sombria', misturando elementos dos dois livros, mas se focando no País das Maravilhas, o segundo trouxe uma história inédita e mais divertida. Em relação ao livro, só devem ter usado umas duas passagens bem de leve só pra dizer que usaram alguma coisa do livro, além, obviamente, da passagem do espelho (dã). Não dá pra considerar o filme como uma adaptação ou sequer uma releitura do segundo livro.

E estamos de volta ao País das Maravilhas, mais colorido e mais alegre que antes (tá explicado: Tim Burton não dirigiu haha). Os personagens antigos recusam reapresentações e os novos são inseridos em seus determinados momentos na trama. A causa de toda a aventura é loucura: Alice tem que voltar no tempo pra salvar a família do Chapeleiro, que está cada vez mais doente. O problema é que ela não pode ser vista nem pode modificar o passado. Pois é... Aceitando isso, o filme viaja (literalmente). O Tempo personificado foi baseado numa interpretação que considero errônea, mas ok, conseguiram criar um personagem aceitável.

O uso de viagens temporais torna a trama interessante, mas tudo não passa de uma desculpa para inventar origens para os personagens. Isso enriquece o universo criado na franquia, mas faz a continuação parecer desnecessária. As cenas das viagens são boas, mas suas consequências parecem não existir e, quando existem, em sua maioria são leves demais, sobrando pro grande clímax compensá-las. Mas calma que isso não faz do filme ruim. Apesar do roteiro mal aproveitado e da ideia duvidosa, o ótimo visual e o carisma dos personagens tornam Através do Espelho uma boa diversão, com tudo o que o primeiro deveria ter e não teve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SOBRE MIM

Minha foto
Formado em jornalismo e futuro escritor de livros. Criei um blog em 2008 por curiosidade para reunir o que achava de melhor na internet. Em 2010 criei outro blog para críticas de filmes e afins. Buscando apresentar uma identidade mais pessoal, em 2014 reformulei ambos. Hoje servem mais como meios de divulgação para matérias que publico em outros sites.